Carregando...

Para agendar uma consulta para o tratamento de interesse, preencha os campos abaixo com seus dados e aguarde o contato e a confirmação da data.

Ondas de calor da menopausa são mais intensas em mulheres obesas

Ondas de calor da menopausa são mais intensas em mulheres obesas

Uma pesquisa acaba de destacar as dificuldades que a obesidade pode trazer à vida de mulheres acima dos 40 anos. Conduzida na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) pelo ginecologista Sylvio Saccomani, ela sugere que, quanto maior o peso na balança, maior a intensidade dos fogachos — aquelas ondas de calor típicas da menopausa.

Para chegar a essa conclusão, foram entrevistadas 749 mulheres entre 45 e 60 anos de idade, vindas de 19 municípios diferentes. “Verificamos que existe uma progressão na intensidade do sintoma de acordo com o crescimento no IMC [índice de massa corporal]”, explica Saccomani, em entrevista ao Jornal da Unicamp. “As queixas já pioram com o sobrepeso”.

As participantes obesas também relataram sofrer mais de problemas urinários e secura vaginal. Tudo isso, junto, chegava a afetar o trabalho, o lazer e a vida sexual.

A notícia contraria a hipótese de que a obesidade protege as mulheres diante de dificuldades típicas do avançar dos anos. De acordo com essa tese, a maior quantidade de hormônio feminino no corpo de quem está acima do peso evitaria os fogachos. “[Esse] é mais um trabalho sugerindo que a teoria da piora das ondas de calor na obesidade é mais predominante hoje em dia”, opina Lucia Costa-Paiva, ginecologista e orientadora da tese, também no Jornal da Unicamp.

Fonte: Saúde